BUSCA DE MINISTÉRIOS
ÁREA DE MEMBROS

Quer ser membro da LIBER? Clique aqui

Facebook Twitter App da LIBER para Google Play
ARTIGOS
Dias Especiais
Cinco Anos Após o Fatídico 11 de Setembro de 2001
Lição da História II (11 de setembro de 2001)
17.09.2006

Pr. Eli Fernandes de Oliveira



O mundo, como o conhecíamos, terminou em 11 de setembro de 2001. A

ação terrorista às torres gêmeas do W. T. Center, " expôs os Estados Unidos ao

juízo de Deus", porque aquele País, de origem evangélica, "segunda terra onde mana leite e mel", no dizer de Billy Graham, dentre algumas coisas,aquiesceu em que Jesus fosse escarnecido, nos anos 90, apresentado em teatros, praticamente como homossexual, quando da apresentação da peça "Corpus Christi"; aceitou que uma estátua de

Maria, a mãe de Jesus,fosse presenteada aos moradores de Nova York, esculpida em excremento de elefante; que a máxima de "não terás outros deuses diante de mim e nem farás para ti imagens de escultura", dos Dez Mandamentos, caísse no esquecimento.



A sociedade americana, outrora conhecida como cristã, inclina-

se, cada vez mais, a um humanismo

secular que advoga não haver "nem bem

nem mal absolutos". Uma representativa parte do seu povo desapegou-se da necessidade de Jesus como Salvador - porque, se não há pecado, não existe o mal. Contudo, a História ensina que sempre que um povo prescinde de Jesus, opta por outras formas de culto e idolatria.

Passados cinco anos do atentado que derrubou as torres gêmeas, ao refletir sobre aquele "11 de setembro" e sobre a dimensão daquele fatídico episódio na vida dos americanos e, por

que não dizer, sobre todo o mundo,

enxergo pelo menos quatro deuses do

paganismo histórico, que significativa parte dos americanos escolheu adorar, em seus respectivos altares:

O primeiro, Baco, deus pagão do

vinho, que promete alegria e excitação.

Muitos americanos, antes fiéis defensores dos princípios bíblicos, fizeram-se alcoólicos. Segundo as estatísticas, milhões e milhões setão escravizados, por esse deus pagão, inclinam-se ante o altar do deus Baco.

O segundo, Mamon, deus pagão do

dinheiro. A frenética priorização do

vil metal vem liquidando vidas,

casamentos, família, amizades.

Ironicamente,os seguidores desse deus

destruidor da saúde, despendem vultosas

somas de dinheiro em tratamentos

médicos, buscando tê-la de volta. O

dinheiro foi convertido em deus, cujos

templos são Bancos com pisos de

granito, liderados por muitos abastados

e verdadeiros adoradores de Mamon.

Os terceiros, Vênus e Cupido,

deuses do amor do paganismo clássico.

Não do amor bíblico, amor de aliança, mas da conveniência sexual. Não do amor

pacto, divino, base do matrimônio, mas

da luxuria, do adultério, da fornicação. Se é verdade que um dia

aquela "segunda terra que mana leite e mel" sonhava avidamente espalhar a preciosa semente do Evangelho, hoje vê-se difusora, aos quatro cantos da terra, da mais putrefata pornografia.

O quarto, Minerva, o deus pagão da

idolatria intelectual. Sua missão

é convencer os homens a admitirem que

se bastam a si mesmos e que a sabedoria

humana é suficiente em si mesma. Não

necessitam da sabedoria de Deus.

O J. Hagee, pastor em San Antonio,

Texas, considerando o ocorrido em

11 de setembro, fez o seguinte remate: "A América, inclinada, por

décadas,ante altares pagãos, terá

agora, humilhada com a tragédia das

torres gêmeas, de voltar-se à submissão

ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó".

Prezados leitores, a realidade

evangélica brasileira,lamentavelmente,

não anda muito longe da americana. Estamos sujeitos às mesmas tendências e ventos contrários, que cerram os olhos ao compromisso radical com os propósitos de Deus para a vida

em qualidade dos homens. Uma população

de 35 milhões de evangélicos no Brasil?

E daí? Se não entendermos a teologia

da salvação como ensejadora de CONVERSÃO, e não de simples ADESÃO,

sofreremos do esfriamento da fé e da

decadência moral que sabidamente já varrem os valores sabidamente cristãos da Europa chamada protestante até as

terras norte americanas cada vez mais

distantes, infelizmente, de serem a

"segunda terra que mana leite e mel".

CULTOS: Domingo às 10h45 e 18h, Segunda às 19h30 e Quarta e às 19h. Consulte a Programação Completa
Endereço: Rua Santo Amaro, 412 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3293-2400

© 2013-2019 Igreja Batista da Liberdade. Todos os direitos reservados.
L2 Midia