BUSCA DE MINISTÉRIOS
ÁREA DE MEMBROS

Quer ser membro da LIBER? Clique aqui

Facebook Twitter App da LIBER para Google Play
ARTIGOS
Ceia do Senhor
“EM MEMÓRIA DE MIM”
Pastor Irland Pereira de Azevedo
04.11.2016

“Tomando o pão e tendo dado graças, partiu-o e o entregou a eles, dizendo: Isto é o meu corpo dado em favor de vós; fazei isto em memória de mim. Da mesma forma, depois da ceia, tomou o cálice , dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue, derramado em favor de vós”. Palavras de Jesus (Lc 22.19,20).









Hoje, celebraremos a Ceia do Senhor de manhã e à noite, conforme decisão da igreja. E assim, juntos recordaremos o sacrifício de Jesus por nós, no Calvário.





É a segunda das Ordenanças que Jesus deixou para sua igreja. A primeira é o batismo.





Sobre essas cerimônias memoriais, encontramos o seguinte no artigo IX da Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira:





IX- O Batismo e a Ceia do Senhor





O Batismo e a Ceia do Senhor são as duas ordenanças da igreja estabelecidas pelo próprio Jesus Cristo, sendo ambas de natureza simbólica. (Mt 3.5,6,13-17; Jo 3.22,23; 4.1,2; 1Co 11.20,23-30). O batismo consiste na imersão do crente em água, após sua pública profissão de fé em Jesus Cristo como Salvador único, suficiente e pessoal. (At 2.41,42; 8.12, 36-39; 8). Simboliza a morte e sepultamento do velho homem e a ressurreição para uma nova vida em identificação com a morte, sepultamento e ressurreição do Senhor Jesus Cristo e também prenúncio da ressurreição dos remidos. (Rm 6.3-5; Gl 3.27: Cl 2.12). O batismo, que é condição para ser membro de uma igreja, deve ser ministrado sob a invocação do nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. (Mt 28.19; At 2.38,41, 42; 10.48). A ceia do Senhor é uma cerimônia da igreja reunida, comemorativa e proclamadora da morte do Senhor Jesus Cristo, simbolizada por meio dos elementos utilizados: O pão e o vinho. Nesse memorial, o pão representa o seu corpo dado por nós no Calvário e o vinho simboliza o seu sangue derramado (Mt 26.26-29; 1Co 10.16,17-21; 11.23-29). A ceia do Senhor deve ser celebrada pelas igrejas até a volta de Cristo e sua celebração pressupõe o batismo bíblico e o cuidadoso exame íntimo dos participantes. (Mt 26.29; 1Co 11.26-28; At 2.42; 20.4-8).





Nossa convicção como batistas é que a Ceia não é um sacramento, pois não constitui veículo de graça. Ela celebra a graça já recebida, lembrando o sacrifício de Jesus Cristo, na Cruz. A palavra memória, anámnesis, em grego, com quatro ocorrências no NT, significa “lembrança, memorial”[1]. Jesus não é outra vez crucificado, nem se manifesta no pão que comemos, mas é lembrado e revemos pela fé seu sacrifício cruento.





Enquanto o batismo é o rito iniciatório da fé cristã, a Ceia é o rito contínuo da igreja visível. Pode ser definida como rito que o próprio Cristo estabeleceu para que a igreja observe como comemoração de sua morte.[2]





Na Ceia, olhamos para trás, e vemos o Cristo crucificado por nós e que a Ele pertencemos, e amamos e desejamos ser fiéis. Olhamos ao redor, e vemos nossos irmãos que também creem e pela graça são salvos, como nós. Mas também olhamos para dentro de nós, e examinamos nosso coração e consciência a considerar a genuinidade de nossa fé no Senhor Jesus. Adverte Paulo: “Assim, quem come do pão ou bebe do cálice do Senhor indignamente é culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor. Portanto, examinem-se antes de comer o pão e beber o cálice, pois se comem do pão ou bebem do cálice sem honrar o corpo de Cristo, comem e bebem julgamento contra si mesmos.” (1Co 11.27-29 NVT). E por fim, olhamos para frente, anunciando a morte de Jesus Cristo e celebrando a redenção, até que Ele volte!





À semelhança dos irmãos da igreja de Jerusalém, no 1º século, que festejemos nossa fé e comamos juntos, com alegria e singeleza de coração (At 2.46).









Pastor Irland Pereira de Azevedo





____________________________________________________________________________________________________________



[1] RIENECKER, Fritz e ROGERS, Cleon. Chave Linguística do Novo Testamento Grego. São Paulo: Vida Nova, 1985.



[2] ERICKSON, Millard J. Christian Theology, Unabridged, one-volume edition. Grand Rapids; Baker, 11th printing, 1994.

CULTOS: Domingo às 10h45 e 18h, Segunda às 19h30 e Quarta e às 19h. Consulte a Programação Completa
Endereço: Rua Santo Amaro, 412 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3293-2400

© 2013-2019 Igreja Batista da Liberdade. Todos os direitos reservados.
L2 Midia