BUSCA DE MINISTÉRIOS
ÁREA DE MEMBROS

Quer ser membro da LIBER? Clique aqui

Facebook Twitter App da LIBER para Google Play
ARTIGOS
Vigilância
O Estilo de Vida que Atrai as Manifestações do Senhor
Pr. Eli Fernandes
07.02.2014

O que de fato significa piedade? É ter pena, dó, de alguém? Significa ser misericordioso com as pessoas dignas de nossa compaixão? Significa falar mansinho e ser carinhoso com o semelhante? Ou, ainda, andar olhando para baixo, só para o caminho, não para os lados, para não pecarmos contra o Senhor?



A propósito da ênfase deste mês, sobre o benefício da piedade, dentro da vigilância, precisamos cumprir esta ordem do Senhor: “Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós”. Aqui, a promessa que o Senhor fará maravilhas em nosso meio está condicionada à nossa obediência da ordem: “santificai-vos”. Considerando que a piedade é outro nome para a vida cristã, tão recomendada por Paulo nas epístolas pastorais e estudada neste mês na EBD, não há como pensarmos nela sem que atentemos para a vontade de Deus aqui revelada.



Nossa Igreja precisa que o Senhor realize entre nós as Suas maravilhas. Elas vão acontecer se exercitarmos a piedade, vivendo dentro de Sua vontade, como Ele deixa bem claro em Sua Palavra. Precisamos que o Senhor realize maravilhas na organização e no funcionamento de nossos PGs, de tal forma que eles cumpram os objetivos para os quais estão sendo agora revigorados, como meio eficaz para o crescimento qualitativo e quantitativo de nossa Igreja. Precisamos que Deus realize maravilhas na vida daqueles irmãos que ainda não descobriram que os nossos cultos, as nossas celebrações, são os melhores programas do domingo, de modo que não haja nada capaz de concorrer com eles e de impedir que neles compareçamos e constatemos as maravilhas que neles Deus faz. Somente o crente piedoso, que gosta das coisas de Deus e reverencia a Sua vontade, compreende o valor espiritual que há em nossos encontros.



A piedade como uma forma de santidade se torna um imperativo quando verificamos, pelo estudo das tendências da igreja na segunda década do séc. XXI, que ela sofrerá um tempo de sequidão espiritual, de um sério descompromisso de seus membros com seus tradicionais deveres cristãos, tanto com a instituição quanto com os indivíduos. Assim, menos cobrados, tornar-se-ão mais críticos, calculistas e indiferentes. A ausência de valores e princípios que lhes norteiem a vida deixa as pessoas como a terra, no início da criação: sem forma e vazia. Daí, resultam: apostasia (renúncia à sã doutrina), ódio, imoralidade, atitudes profanas, e por aí vai.



É urgente entendermos na prática que “a vontade de Deus é a nossa santificação” (1 Ts 4.3). Moody assim conceituou a santificação: “ser santo é fazer aquilo que o pecador zomba, mas o Senhor coroa”. É ser separado, é ser diferente é ser piedoso. Vida santa e piedosa é vida desembaraçada das coisas que são lícitas, mas não nos convêm praticá-las: “deixemos todo o embaraço” (Hb 12.1a). Vida santa é vida separada dos pecados que nos rodeiam – “deixemos todo o embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia” (Hb 12.b), como a apostasia: pouco a pouco, os crentes deixam de ler a Bíblia, abandonam o convívio com os irmãos, menosprezam os estudos bíblicos e o ensino da Palavra, não sentem vontade de frequentar a EBD; o Ódio (Hb 12. 15): a paz com o próximo tem de ser um critério em nossos relacionamentos, não deixando “o sol se por sobre a vossa ira”; a imoralidade, a profanação (Hb 12.16): é o “tanto faz”, a troca do essencial pelo vulgar, mais valor ao mundanismo do que às coisas de Deus, sem sentir o absurdo de tal atitude. Vida santa, a vida piedosa, é um estilo que prova que somos filhos de Deus (Hb 12. 5-11). E se somos realmente filhos, então, “brilhe a vossa luz diante dos homens...” (Mt 5.16). A piedade, como vida santa, é a melhor expressão de louvor ao nosso Deus. Nossa vida está afinada com os padrões do Senhor?



É tempo de buscarmos a santificação, de sermos piedosos! Principalmente, nesses dias em que o nosso povo se aproxima do carnaval, a festa da carne, em que a permissividade moral parece tomar conta das mentes e dos corações. Este é o tempo de nos protegermos contra os males que estão por vir. A piedade é a melhor forma de exercermos a vigilância, porque ela constrói em torno de nós e de nossa família um escudo espiritual capaz de nos defender contra as setas inflamadas do maligno que já estão sendo lançadas contra nós. Santifiquemo-nos para vermos as maravilhas do nosso Deus!

CULTOS: Domingo às 10h45 e 18h, Segunda às 19h30 e Quarta e às 19h. Consulte a Programação Completa
Endereço: Rua Santo Amaro, 412 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3293-2400

© 2013-2019 Igreja Batista da Liberdade. Todos os direitos reservados.
L2 Midia