Site da Igreja Batista da Liberdade.

BUSCA DE MINISTÉRIOS
ÁREA DE MEMBROS

Quer ser membro da LIBER? Clique aqui

Facebook Twitter App da LIBER para Google Play
ARTIGOS
Família
Devassidão nos lares I
Pr. Eli Fernandes
26.02.2010

Um homem beija outro homem na boca, em programa de maior audiência da Rede Globo de Televisão – BBB 10, provocando reprovação e um esboço de campanha para que os lares dos cerca de 40 milhões de evangélicos no Brasil boicotem a audiência ao citado "reallity". Em e-mail divulgado na Internet, há referência à reação de diretor da Globo a essa possibilidade de boicote, afirmando que "não teme polêmica, nem a comunidade evangélica, pois ela é desunida e omissa".



Qual a novidade? Nenhuma. Lembro-me do dia em que falei à LIBER sobre as conclusões da LIDERship Network, sobre como os de fora da igreja nos vêm: "omissos e escorregadios".



Duas semanas atrás, ouço no rádio do carro: "devassidão", no horário nobre da TV. Era o jornal da Jovem Pan colocando no ar um editorial contra as novelas do "horário nobre" da televisão brasileira. Solicitei àquela emissora uma cópia do texto, onde se lê: "Há desvios escabrosos no mundo moderno", sob o pretexto de liberdade de expressão. Enquanto na Venezuela se lacram canais de TV, aqui a disputa de audiência coloca no ar uma libertinagem que agride a família brasileira".



Segundo informou a coluna "Outro Canal", da Folha de São Paulo, o texto da rádio não cita nomes dos programas, mas dá exemplos para argumentar que a "devassidão está escancarada".



"A fidelidade morreu. Em cena de café da manhã, a filha sai do quarto com o namorado e se assenta à mesa, na mais absoluta naturalidade. Ali, na outra cena, amigas planejam outro lance de traição e torpeza", cita um dos trechos do editorial.



A novela "Viver a Vida" mostra a infidelidade de Gustavo (Marcelo Airodi) e da esposa Betina (Letícia Spiler). A trama também exibe cenas em que o casal de namorados Miguel (Mateus Solano) e Renata (Bárbara Paz) tomam o café da manhã com a família, após dormirem juntos.



Para a Central Globo de Comunicação (CGC), a novela "é uma obra de ficção que não tem compromisso com a verdade". Segundo a emissora, ao "recriar livremente situações, problemas e dilemas, de nosso dia a dia, a teledramaturgia busca apenas tecer o pano de fundo para histórias que, na verdade, discutem os sentimentos humanos (...) Essa é sua função social: entreter, permitindo que nos identifiquemos com tramas, personagens, etc... estimulando assim a reflexão sobre nossos valores, crenças, atitudes e comportamentos".



A Globo ainda diz ter a "convicção de que a abordagem de temas de interesse social nas novelas contribui com a mobilização da sociedade", servindo como pauta de discussão e temas à imprensa. São mesmo essas as intenções pelas quais a mídia televisiva desenvolve os temas de suas novelas? Esses temas são mesmo de interesse social, ou a mídia televisiva acaba ditando os hábitos e costumes que deseja que o povo cultive, formando, assim, as opiniões, através de um poder altamente manipulador, de acordo com o que ela julga ser verdade e da forma como deseja que os telespectadores pensem o que seja bom e honesto? O que a mídia televisiva pensa ser de bom costume é de fato uma coisa boa? Ora, não é verdade que isso, que é por ela transmitido como uma coisa boa, tem destruído muitos casamentos e não poucas famílias? No editorial do próximo domingo responderemos essas questões.



Fontes citadas: Jornal da Rádio Jovem Pan (27/01/2010); e Jornal a Folha de São Paulo (02/02/2010).

CULTOS: Domingo às 10h45 e 18h, Segunda às 19h30 e Quarta e às 19h. Consulte a Programação Completa
Endereço: Rua Santo Amaro, 412 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3293-2400

© 2013-2020 Igreja Batista da Liberdade. Todos os direitos reservados.
L2 Midia